Buscar
  • Drê Calderon

Dicas de como lidar com a ansiedade em tempo de quarentena

O isolamento necessário que viveremos nos próximos dias, devido à pandemia mundial do Corona Vírus (Covid-19), será um momento difícil e complicado para todes nós. Tanto individualmente, quanto em sociedade, seremos testades nos mais diversos níveis, de maneira interna e externa.

Se você puder ficar em isolamento, fique! Por mais difícil que seja, não saia se não for absolutamente necessário. Não só por você, mas muitas pessoas continuarão trabalhando longe de suas famílias, de suas casas, e muito mais expostas ao risco de contaminação. Seja empático, considere que todos nós, humanos, necessitamos imensamente dessa consciência.


Será um momento de desenvolver o auto-cuidado. Neste período, a ansiedade provavelmente estará muito alta pra todes nós. Muitas pessoas tem relatado início de crises de pânico ou aumento delas. A partir disso, decidimos indicar algumas estratégias gerais que podem auxiliar no lidar com a ansiedade.


A resposta ansiosa do nosso corpo é natural, e tem como função preservar a nossa vida. Na sociedade na qual vivemos, sendo bombardeados de informações e de estímulos externos e internos constantemente, muitas pessoas já desenvolvem níveis altíssimos de ansiedade, o que pode piorar em momentos como este.

A crise de ansiedade pode se manifestar de diversas maneiras, sendo os sintomas físicos mais comuns taquicardia, sudorese, tontura, tremores, entre outros. E os sintomas psicológicos mais comuns são a sensação de morte, a sensação de perda de controle,e a sensação de enlouquecimento. É uma reação de medo extremo, sem nenhuma ameaça real.


Porém, neste momento, temos uma ameaça real, o que pode tornar todos esses sintomas muito mais frequentes. Por isso, é importante reforçar os cuidados.


A primeira coisa necessária ao lidar com a ansiedade é aceitar que ela existe. Ela existe, ela se manifesta em você. O que você está sentindo é real. E aceitar que ela está presente, é necessário. Quando você aceitar que ela existe e está com você, reconhecendo os sintomas físicos e os pensamentos que vem junto com eles, você cria a possibilidade de lidar com ela de outra maneira.


Quando reconhecer os sintomas, aceite que é a ansiedade existindo, e que nesse momento é necessário que você se distraia. Levante-se, caminhe, respire fundo, lave sua mão (e foque totalmente sua atenção na água caindo na sua mão, no sabão, na textura da espuma, no cheiro), coloque uma música que você goste e concentre sua atenção nela, tome um copo de água devagar, focando sua atenção na temperatura da água descendo pela sua garganta. O importante é que você consiga focar sua atenção em alguma coisa externa a você. Faça exercícios de respiração e relaxamento diariamente, algumas vezes por dia se necessário. Eles irão te ajudar muito nos momentos que a ansiedade bater, crie esse hábito.


Estar sozinhe em casa pode ser um fator para que as crises de ansiedade também apareçam. Mas esse é um momento para olharmos pra dentro, cuidarmos de nossos sentimentos. Todos eles, inclusive o medo, solidão, o silêncio. Cuide de você. Acolha seus sentimentos. Você não está sozinho. Muites de nós também estamos sentindo tudo isso. Utilize com frequência as redes sociais para se comunicar com suas pessoas queridas. Converse com os amigos e com os familiares.


Mas tome cuidado com o tempo em que passa no celular. Neste momento, recebemos informações diversas, que por vezes nem são verdadeiras, mas que nos atingem emocionalmente. E passar muito tempo lendo notícias e matérias sobre a pandemia, também pode ser um fator para aumentar a ansiedade. Isso não significa não estar atualizado e atento às notícias, o que também é necessário. Mas delimite um tempo para isso. Eleja portais específicos para se atualizar, que você já sabe que são confiáveis. Mas tome cuidado em não passar o tempo todo lendo sobre isso. Os momentos de se desligar, também são muito importante nesse momento. Pense em desenvolver atividades manuais, hobbies, aprender a cozinhar, aprender a limpar e organizar a casa, fazer um curso online, aprender a tocar um instrumento musical, o que for possível e de seu interesse.


Use esse tempo para desenvolver habilidades novas. Escreva tudo o que está pensando e sentindo, desenhe, faça colagens. Lembre-se que ninguém precisa ver, não há certo ou errado, nenhum julgamento é necessário. Se desligar das telas por um tempo, também se torna essencial nesse período. Faça exercícios físicos, nem que seja apenas alguns minutinhos por dia, não precisa ser nada muito elaborado, mas que você possa movimentar seu corpo. Manter nosso corpo ativo, também nos ajuda a lidar melhor com as nossas emoções.


Precisamos ter cuidado nesse momento também com o uso de substâncias psicoativas, como álcool, maconha, cocaína e etc. A maconha pode contribuir muito para o aumento da ansiedade. O consumo de álcool também, aumenta o risco de crises depressivas. Se for fazer uso de alguma substância, parcimônia. Nossos corpo e nossa mente precisa estar o mais saudáveis possível.


Se estiver muito difícil, diversos profissionais estão disponibilizando acolhimentos psicológicos de maneira gratuita para a população.


Juntes, podemos passar por toda essa situação da melhor maneira possível.




Referências


Harris, Russ. - Liberte-se - Evitando as Armadilhas da Procura da Felicidade - 1962.; [tradução Helena Maria Andrade do Nascimento]. - Rio de Janeiro: Agir, 2011.


Becker, Judith S. - Terapia Cognitivo-Comportamental: Teoria e Prática - 2ª Edição [tradução Sandra Mallman da Rosa] - Artmed, 2013.


Angellotti, Gildo. - Terapia Cognitivo-Comportamental Para os Transtornos de Ansiedade - (Elisa Harumi Kozasa). São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.




0 visualização

© 2019 - Cuide-Ser - Todos os Direitos Reservados